Poderes 13/09/2017 às 08:12
DELAÇÃO

Wagner Ramos cobrou R$ 250 mil para aprovar as contas de ex-governador

Conforme a delação de Rodrigo Babosa, ele e seu tio também fizeram pagamentos de R$ 200 mil para Silvano Amaral (PMDB) e José Domingos Fraga (PSD). 
Escrito por: KAMILA ARRUDA - DIÁRIO DE CUIABÁ


Foto Por: reprodução
Foto Principal Notícia
Romoaldo era quem estava intermediando a negociação tanto que Wagner Ramos só aparece no final da gravação, após ter sido chamado. 

Um áudio entregue pelo empresário Rodrigo Barbosa a Procuradoria Geral da República (PGR) revela uma reunião entre ele, o seu tio Antônio Barbosa e os deputados Romoaldo Júnior (PMDB) e Wagner Ramos (PSD) para tratar da aprovação das contas do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) mediante pagamento de propina. 

O encontro teria ocorrido dentro de uma caminhonete no estacionamento da Assembleia Legislativa no ano de 2015. O assunto era a propina que seria paga a Wagner Ramos. Na época, o social democrata era o relator da Comissão de Fiscalização e Orçamento da Assembleia, que aprovou as contas do ex-gestor do exercício de 2014. 

A negociação foi feita no período em que Silval estava recolhido no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC). Romoaldo era quem estava intermediando a negociação entre o seu colega de parlamento e o filho e irmão de Silval, tanto que Wagner Ramos só aparece no final da gravação, após ter sido chamado. 

Além disso, no áudio ele diz que está organizando "tudo" e que Rodrigo precisaria apenas "clarear" para Wagner Ramos. “Não Brinque com isso não. Essas contas precisam ser aprovadas pra tudo”, disse Romoaldo a Antônio Barbosa, que respondeu não saber da onde iria tirar o dinheiro. 

Conforme a delação de Rodrigo Babosa, ele e seu tio fizeram pagamentos de R$ 250 mil ao deputado Wagner Ramos, além de R$ 200 mil para Silvano Amaral (PMDB) e José Domingos Fraga (PSD). 

O médico também entregou a justiça conversa de WhatsApp ocorrida meses depois de Ramos dizendo estar desconfiado de que Antônio Barbosa havia gravado a conversa.